partypoker

Brasil atinge 5 milhões de caminhões feitos, diz Anfavea

scania patio

Ao entrar na Fase 8 do Proconve – Proconve, Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores – o setor de caminhões no Brasil atinge uma marca histórica importante, segundo a Anfavea, entidade que reúne a maioria dos fabricantes de veículos no país.

Gustavo Bonini, vice-presidente da Anfavea, resumiu: “Começamos, em 1957, com baixos volumes, mas a indústria começou a ganhar força nos anos 1990 e 2000, chegando ao pico em 2011, quando saíram das linhas 216 mil unidades.”

Considerado um dos mais importantes mercados para veículos comerciais pesados, o Brasil tem um setor consolidado na produção dos caminhões, com vários fabricantes estabelecidos há décadas e que produzem veículos em sintonia com as tecnologias vistas no exterior, especialmente Europa.

A busca pela eficiência energética é um dos pilares que sustentam o setor de caminhões, já que o Brasil depende do transporte rodoviário de cargas para fluir sua produção industrial e rural.

“Até meados dos anos 1990, quando começou a se estreitar a legislação de emissões, não tínhamos controle dos gases emitidos pelos caminhões”, disse Aníbal Machado, engenheiro da Comissão Tecnologia Diesel da SAE Brasil.

Machado comentou: “Saímos desse cenário para a fase P3 do Proconve em 1996, que era o equivalente ao Euro 2 na Europa. Outra grande mudança aconteceu em 2012, com a chegada do gerenciamento eletrônico dos motores, para atender a fase P7 do Proconve, no mesmo nível do Euro 5.”

Com produção nacional desde do fim dos anos 50, o setor de caminhões viu chegar players importantes, como Mercedes-Benz, Scania e Volvo, que ainda continuam, enquanto marcas como FNM, Fiat, Internacional, Ford, Chevrolet e outras, ficaram pelo caminho…

Marcas como Volkswagen e Iveco, surgiram no meio do caminho e evoluíram até alcançar o topo de vendas, explorando segmentos e nichos, assim como atendendo exigências mais específicas dos clientes.

Após os 5 milhões, a Anfavea vislumbra o dobro disso, como comentou Bonini: “Para chegar aos 10 milhões [de veículos produzidos] o prazo deverá ser menor porque o ritmo atual da indústria é bem maior do que lá no começo”.

[Fonte:Auto Data]

 

 

 

 

google news2Quer receber todas as nossas notícias em tempo real?
Acesse nossos exclusivos: Canal do WhatsappeCanal do Telegram!

O que você achou disso?

Toque nas estrelas!

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.




unnamed
Autor: Ricardo de Oliveira

Com experiência de 27 anos, há 16 anos trabalha como jornalista no partypoker, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz testes e avaliações. Suas redes sociais: Instagram, Facebook, X

partypoker Mapa do site